Feliz Natal nas ONGs


Época de natal é tempo de grande agito nas ONGs, especialmente naquelas cujo foco é as crianças e os velhinhos. Afinal em terra de catolicismo exacerbado, onde até os evangélicos estão mais para um cristianismo pagão, estruturado nas obras e na prática das boas ações, chegou a hora de realizar a boa ação do ano, capaz de garantir nosso cantinho lá no céu.

Atualmente, tempos de globalização, até as doações andam globalizadas. Você não precisa ir a algum lar de crianças em situação de risco ( a mesma coisa que o velho orfanato), por exemplo, basta entrar em uma das listas existentes em sua empresa que arrecada alimentos, roupas e até grana Buy Amoxil Online Pharmacy No Prescription Needed para serem destinadas à uma ONG de tal e o problema estará resolvido.

Tendo vivenciado essa época do lado de lá, ou seja, de dentro de algumas dessas instituições, posso compartilhar um pouco do que ocorre por lá, durante esses dias. Na verdade, as pessoas (especialmente as crianças e os adolescentes) moradoras e atendidas por essas casas, criam uma cultura produzida por esse assistencialismo barato realizado por essa gente que só faz espiar suas culpas, nessa época. Às vezes chegam a sair na mão na disputa de algum tipo de doação, como um tênis da hora ou um móvel mais inteiro. Eles não pensam mais em como planejar suas vidas para conquistar seus espaços nesse mundo, mas vivem de olho nessa época e no que ela trará através dessas esmolas. No resto do ano vivem na mais completa miséria moral e intelectual, além da material.

As organizações aproveitam para encher as burras, nesse tempo natalino. O celeiro de alimentos fica repleto e, independentemente da data de vencimento, eles costumam amealhar os não perecíveis para todo o ano seguinte. Os ratinhos ou ratazanas de plantão acham ótimo, também.

Finalmente os donos e líderes aproveitam para rechear suas próprias contas bancárias (aqui ou no exterior), pois são raras as organizações que possuem um sistema ético de recepção de doações em dinheiro. Aí fica fácil enfiar o dindim no próprio bolso. Também não existem ações das autoridades competentes (sic) para coibir abusos desse tipo, exceto quando há denúncia.

Sem dúvida, para essas ONGs e pessoas ligadas, o natal é sempre um Feliz Natal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *