O encontro (09-12-08)

Fiquei extremamente feliz com tudo. Cada rosto presente, as mini palestras, os apartes, o local, enfim, tudo me emocionou. Dizem que a velhice faz isso. Não creio, nesse caso. Pelo jeito os dois companheiros sentiram também e isso me leva a crer que foi emocionante, de fato.

Falhei imensamente na parte da informática, logo eu, considerado nos sete mares um craque na área. Viram como é fácil enganar a muitos por algum tempo? Buy Topamax Online Pharmacy No Prescription Needed Isso repete um script antigo de minha vida. Não tenho fotos, filmes ou qualquer outra prova visual do meu casamento na igreja. No dia, uma sucessão de imprevistos levou a isso. Ontem foi igual. Esqueci a câmera fotográfica digital em cima da mesa de trabalho aqui. A rede, no local, não permitiu a transmissão e não sei se devido a algum bloqueio dela, ou o notebook que levei não suportou a demanda. Não era um top, mas também não era nenhum dinossauro. Não sei o que houve, ainda. Para completar, meu celular é tão primário que não faz fotos e nem GPS tem.

Em compensação, você não acreditaria se visse e ouvisse o que foi falado lá. Volney, Adiron e Andrezza exageraram no direito de competência e fizeram um lindo trabalho, e foi muito legal e o oportuno o Adiron ter cedido parte do trabalho à Andrezza. Todos desejavam isso. Quando chegou a minha vez, juro que fiquei com vontade de dizer: “Pessoal, era isso que tínhamos a conversar” e encerrar, pois tudo estava brilhantemente dito. Para não parecer um mal agradecido, tentei fechar amarrando tudo. As conversas se desenrolaram durante a exposição dos temas e no final. Foi muito bom ouvir de gente tão importante argumentos que demonstram claramente como não enlouqueci e nem estou tão ultrapassado, ainda.

Concordamos sobre a necessidade de enfatizar a pessoa, o ser humano, antes de mais nada. Doar ou participar é um ato exclusivo. Nossa ética e direito devem ater-se a comunicar nossos projetos e angariar amigos para eles. As pessoas decidirão se devem ou não enfiar a mão no bolso. Aprendemos a essência do Fundraising, a arte de construir um banco de dados correto, ouvimos de um caso concreto e o que a eleição de Obama pode nos ensinar em termos de desenvolvimento.

Vamos dar continuidade a essa idéia. Imaginei pular as festas e voltar à carga depois. Mas o Volney está certo, vamos em frente! Nossa agenda deve começar em janeiro, com quem estiver disponível. Tratarei com ele a elaboração da agenda e divulgarei, assim que estiver pronta. Trataremos de corrigir nossos erros, nos próximos. Convidaremos alguém competente em informática, de fato. Bem que eu chamei o Luis F. Batista, mas ele não pode deixar o trabalho dele.

Espero encontrar em breve todos os que desejaram participar e não puderam. De qualquer forma todos merecem meu agradecimento, os que foram e se emocionaram e os que virão no futuro.

5 thoughts on “O encontro (09-12-08)

  1. Cá pra mim, Lou, eu acho que foi valioso e valoroso – inda mais sem dispersar com câmeras e transmissão. Foi um ‘esquecimento’ estratégico.

    De qualquer forma, temos o que foi falado e podemos pegar um resumo do Fábio e da Andrezza.

    Ao final vc amarrou bem, pois esse era o propósito – já que o tema dependia do foco DESENVOLVIMENTO como vc bem enfatizou.

    Essa sua área é a grande demanda do momento. E vc tem que acelar nos projetos, pois as ONGs e oTerceiro Setor estão muuuito carentes.

    Sucesso!!

  2. Por favor…sem maiores e melhores.

    Acho que a participação de todos e de cada um enriqueceu o debate.

    Nesse assunto acho que ainda somos todos aprendizes.

  3. Volney

    Esse é o tempo e a hora para todos nós. Uns mantendo o conquistado e outros conquistando novos horizontes. Vamos agarrar isso com unhas e dentes, sim. Obrigado e sucesso para todos nós e para os projetos também. Obrigado.

  4. Fábio

    Enaltecer além de ser um sentimento, no caso, por um bom trabalho filantrópico, é uma forma de agradecer, também, certo?
    Quanto a nos considerar como aprendizes, você também está certo e eu concordo plenamente.

    É por isso que você mora me Perdizes? Ops… falei. Sory.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *