LHM Academy

O Torcedor Contribuinte

Projeto de Captação de Recursos para equipes de futebol, basquete, volei, etc…

O Torcedor Contribuinte é um participante imprescindível no  futebol profissional (ou outro esporte), ou deveria ser. Assim como em todos os esportes de competição, oferece uma razoável gama de fontes de recursos.

Devido a fatores como a velha lei do passe e a chamada lei Pelé, a presença de inúmeros empresários nacionais e internacionais, a fonte de recursos mais procurada é a gerada pela negociação de jogadores. Na verdade, a pior opção de sustentação para qualquer time e pior ainda no caso dos times de ponta.

Entretanto existem outras, nada desprezíveis, algumas pouco trabalhadas no âmbito dos clubes e times que disputam as principais categorias da modalidade. A receita gerada com a venda de ingressos, por exemplo, é uma delas. Inexplicavelmente, há um certo desinteresse por essa receita, aparentemente.

O desprezo pode ser tanto que a quantidade de ingressos distribuídos gratuitamente aos torcedores, com finalidades pouco elogiáveis, é absurda e visa utilizar essas pessoas como massa de manobra, expediente muito utilizado por parte dos atuais presidentes e diretores de futebol, infelizmente.

Além disso, vale lembrar, há a revenda de produtos ou licenciamentos (camisas, material esportivo, etc) que sempre produz uma receita legal para qualquer equipe, sem falar na venda de espaço para propaganda nos uniformes, embora no formato atual, sobre uma parte muito pequena para o orçamento do futebol.

Soma-se a tudo isso, valores obtidos com direitos de televisionamento e imagens, sem esquecer que todos os atores (empresas de TV, TV a cabo, via satélite, etc., detém direitos a parcela disso.

Minha intenção aqui é tratar mais acuradamente da fonte de receita representada pelo torcedor amador. Alguns clubes os chamam de sócio torcedor ou torcedor fiel.

Até aqui, o torcedor tem sido visto como um mero consumidor. Ledo engano. O torcedor deveria ser encarado como a pessoa mais importante na rede de sustento de uma equipe de futebol. Para começo de conversa, o ideal seria separar o clube do time, em termos administrativos. Quando as duas áreas estão misturadas, é muito comum que uma acabe sabotando a outra.

Isso não é tarefa para qualquer um e muito menos para marketeiros acostumados a desenvolver produtos. O que acontece quando essa gente assume essa tarefa é começar a desenvolver quinquilharias (kits, camisa com nome de torcedor, relógio, boton, etc), para descobrir que o resultado não chegará a ser satisfatório.

Torcedores não são sócios do clube. Para tanto, precisariam adquirir o título de sócio. Cada um desses segmentos precisa construir sua própria rede de mantenedores, independente.

O clube deverá ser mantido com as receitas obtidas pelo pagamento das taxas de manutenção pelos sócios do clube, em quantidade capaz de arcar com as despesas orçadas. Esses sócios, ganham o direito de freqüentar e utilizar as dependências do clube, com fins de lazer.

Além disso, por força estatutária, são os sócios que elegerão o conselho e a diretoria do clube, a cada dois anos, no caso do Corinthians e da maioria dos clubes que abrigam equipes de futebol.

O torcedor é um segmento importante na rede a ser formada para manutenção exclusiva da equipe de futebol, podendo ser estendida a outros esportes, desde que isso seja mantido em contas separadas. O perfil do torcedor é o do aficcionado pelo time. É ele quem vai aos jogos, acompanha o desempenho da equipe, sofre, compra jogos pela TV, aguenta a gozação de bambis e porcos, etc.

Esse torcedor inclui a disposição e capacidade de contribuir financeiramente para a manutenção da equipe, variando para mais ou para menos, dependendo do desempenho. Em nada ele poderá ser comparado ao membro das torcidas organizadas, que pertence a uma outra entidade distinta.

A partir desse perfil, será possível planejar a arrecadação através dessa fonte. Para isso é preciso saber o montante total necessário previsto em orçamento e quanto caberá para ser arrecadado via torcedor contribuinte, incluindo o custo do serviço e, com base em parâmetros conhecidos pelos profissionais dessa área, calcular o número de torcedores necessários para garantir um determinado montante de doações, através da média mensal de doações.

Uma vez decidido o número de torcedores necessários, e esse contingente será cultivado dentre o universo dos torcedores espalhados pelo país, a começar de São Paulo, no caso do Corinthians.

Uma campanha maciça será lançada, através da mídia, com a finalidade de cadastrar todos os torcedores. Os torcedores cadastrados serão considerados potenciais torcedores contribuintes, embora não tenham a obrigação de fazê-lo. Critérios de efetivação deverão ser estabelecidos, tais como cartão do sócio torcedor, com capacidades para adquirir ou reservar ingressos, doações, descontos, serviços e outras tarefas (desconto em supermercados, farmácias, planos de saúde e outras redes), possibilidade de manifestar preferências (técnico, diretor de futebol, jogadores) em site e outros.

Estimo que cada mil torcedores contribuintes poderiam gerar uma receita mensal fixa mínima da ordem de um milhão de reais (R$ 2.000.000,00). Creio ser muito provável o alvo de um cadastro de, pelo menos, 20 milhões de torcedores, no caso do universo de torcedores corinthianos, contribuindo mensalmente com R$ 20,00.

Esses números garantiriam o contingente de quinhentos mil doadores e uma receita mensal mínima de Quatrocentos milhões de reais, com reais possibilidades de ser ainda maior.

Para times menores, por exemplo, com um contingente de vinte mil torcedores cadastrados, o potencial de doações estaria estimado em Duzentos mil reais mensais (R$ 400.000,00), com possibilidade de aumentar, dependendo do plano oferecido.

Esse projeto precisará ser bem detalhado e isso não será tarefa para amadores e pessoas não treinadas para tanto, mesmo que sejam experts em outras atividades.

Ops: Caso resolva replicar, copiar, sugerir, etc. esse texto, não esqueça de citar sua fonte e conceder os créditos devidos.

Maiores informações, envie E-mail para: louhmello@gmail.com ou via aba de contato, acima.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *