Sabesp e empresa do Banco do Brasil dão R$ 1,3 mi a projeto de Neymar

 


Instituto Neymar

 

O projeto social do Instituto Neymar Junior, pertencente ao jogador do Barcelona, tem como principais financiadores a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico de São Paulo) e uma companhia de seguros pertencente ao Banco do Brasil. Ambos utilizaram a Lei de Incentivo Fiscal ao Esporte que previu R$ 3,1 milhões em dinheiro para o programa, como mostrou o UOL Esporte.

Inaugurado em setembro do ano passado, o instituto foi construído com “recursos próprios e patrocínios privados”, segundo descrição do seu site. O Barcelona e parceiros do jogador entraram com os recursos da infraestrutura. A intenção era bancar o funcionamento por meio de incentivos fiscais de pessoas “jurídicas e físicas”.

O Ministério do Esporte aprovou a captação do valor para o instituto. Em março de 2015, três empresas fizeram doações que serão descontadas de seus tributos: o Laboratório Sergio Franco, a Sabesp e a Companhia de Seguros Aliança do Brasil, que pertence ao Banco do Brasil.

A subsidiária do banco público, que entrou em fase de contenção de despesas com a nova política econômica do governo, doou R$ 800 mil para o instituto no dia 13 de março. Tornou-se, portanto, o maior financiador do projeto.

“Não há dinheiro público envolvido. Como informado anteriormente, os recursos destinados ao projeto do Instituto Neymar são oriundos da Companhia de Seguros Aliança do Brasil, que é uma das empresas de direito privado que compõem o Grupo Seguros BB Mapfre, e são destinados via lei de incentivo fiscal (Lei do Esporte)”, informou a assessoria da companhia.

Dono da companhia, o BB é um banco público, e o dinheiro de incentivo é descontado integralmente de tributos. A assessoria da companhia informou que pode utilizar a imagem do projeto para sua divulgação, mas ressalta que não há compensação de propaganda de Neymar. Segundo a assessoria, não houve negociação para fechar o patrocínio: foi iniciativa da empresa.

Em meio à crise hídrica do Estado, a Sabesp pediu o reajuste das tarifas de água por enfrentar grave situação financeira por bônus nas contas e queda no consumo. O secretário estadual de Recurso Hídricos, Benito Braga, reconheceu a situação complicada que já gerou demissões. Enquanto pede reajuste à agência reguladora, a Sabesp investiu R$ 530 mil no projeto social de Neymar Jr. no dia 11 de março.

O Ministério do Esporte confirmou que a captação total do projeto até agora foi de R$ 1,370 milhão. Ou seja, além do incentivo fiscal, foi uma subsidiária de um banco público e uma sociedade de economia mista que bancaram o projeto de Neymar praticamente inteiro. As duas empresas poderão descontar de seus tributos o valor doado.

A intenção do instituto é atender 10 mil pessoas, sendo 2.300 crianças no litoral paulista, com atividades físicas, educacionais e culturais. As atividades serão entre as 7 horas e 23 horas.

O blog questionou as assessorias da Sabesp, e o instituto de Neymar, mas não recebeu retorno.

Tags : Banco do Brasil
incentivo fiscal
Neymar Jr
Sabesp


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *